Empresária Luiza Parreiras

Coworking é uma boa opção para uma empresa reduzir custos e ampliar relacionamentos

O Brasil vem passando por um momento de instabilidade econômica que tem afetado seu crescimento e, por consequência, o crescimento do empresariado brasileiro. Com isso, as empresas buscam cada vez mais a redução dos custos e novas formas para manter seu lucro e sustentar sua companhia.

Uma solução que tem sido utilizada por diversas empresas no mundo é o coworking, uma modalidade de trabalho em que vários profissionais ou empresas dividem a mesma estrutura física. O modelo surgiu nos Estados Unidos e hoje se espalha por todo o mundo, incluindo o Brasil.

Espaços de coworking ou escritórios compartilhados são empresas que proporcionam aos seus clientes, além da redução de custo operacional, o networking e o colaborativismo. Bruna Lofego, CEO e fundadora da CWK Coworking, destaca:

A redução de custo é alcançada, pois as despesas fixas comuns de uma empresa são divididas por todos, incluindo energia elétrica, condomínio, telefonia, entre outros. O networking e o colaborativismo surgem espontaneamente para quem utiliza o espaço, pois a interação entre os profissionais acontecem de forma natural no dia a dia de trabalho

Com o pagamento de uma mensalidade, o cliente passa a ter acesso não somente à infraestrutura operacional – como telefonista, motoboy, serviço de copa, limpeza e manutenção – de que toda empresa precisa, mas também a uma rede de relacionamento que um escritório próprio não consegue proporcionar.

Segundo Bruna, as vantagens são inúmeras.

Ao utilizar um coworking, a pessoa consegue uma redução de custo operacional, com investimento inicial zero, pois não há custo com instalação. O cliente pode levar apenas o seu computador, e toda infraestrutura para trabalho já está pronta, desde a internet com link dedicado até o cafezinho na hora do descanso. Tudo isso em um ambiente empresarial moderno, agilidade nas atividades operacionais de um escritório, além de networking profissional e pessoal

Para Luiza Parreiras, as expectativas são altas.

Empresária Luiza Parreiras

Empresária Luiza Parreiras

Tenho observado o mercado de coworking e percebo que ele está constantemente em crescimento, indo na contramão da crise, justamente pela condição favorável de trabalho que oferece, com um custo muito mais baixo. A tendência é de que, já em um ano, tenhamos chegado a um ponto de equilíbrio desse novo escritório

Com um investimento que gira em torno de R$ 200 mil, a empresária espera ter o retorno em dois anos.

A ideia inicial é observar a demanda da região e, posteriormente, ampliar o espaço e oferecer novos serviços. Luiza comenta:

Com o tempo, poderemos conhecer a clientela que nos busca e, caso surjam demandas específicas, poderemos ampliar de acordo com a procura. Por exemplo, uma empresa que precise de uma sala ampla e exclusiva, ou terapeutas que precisem de uma sala que não seja tão grande, mas que seja individual para prestar seu atendimento, ou uma pessoa que precise de uma sala de aula para ministrar cursos livres. Enfim, são inúmeras as possibilidades que o negócio proporciona; por isso, após essa análise, avaliaremos uma expansão de acordo com a demanda

Fonte: Terra c/ Redação. Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra ou do CWK Araguaia.

Anteriores

O que é Coworking?

Próximo

Modelo de Negócios concebido de forma visual, flexível, colaborativa e sistêmica: conheça o Quadro e faça o seu.

  1. Que blog bacana….

    Dicas muitos boas, show de bola!

    Vou ficar passando aqui sempre…

    Fica na paz….

    Robson

Deixe uma resposta

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén